Diário de Itapoá conta como foi a alta temporada na visão dos comerciantes do município Imprimir E-mail
Comércio
Dom, 08 de Março de 2009 16:05

A equipe DI esteve visitando alguns estabelecimentos comerciais e, em contato com os comerciantes, se interou de como foi a temporada para o comércio local.


“Quando se iniciou o planejamento para a alta-temporada 2008/2009, esperava-se um movimento muito bom, pois entre outras coisas, o carnaval ocorreu no final do mês de fevereiro, o que alongou o período de movimento mais intenso no litoral” conta Genaine dos Santos, responsável por uma loja de roupas no Balneário Itapoá. A partir do início de novembro, em função das fortes e constantes chuvas, essa expectativa positiva começou a mudar e, na transição dos meses de novembro e dezembro, deu lugar a muitas incertezas. Como se não bastassem os desastres naturais, ainda passamos a conviver com as preocupações causadas pela crise econômica mundial. Findo a alta temporada, os comerciantes possuem visões bastante semelhantes quanto ao movimento no comércio e dizem que não tiveram um ano maravilhoso, mas em virtude do que se esperava, com todos os problemas, o ano não foi dos piores.

Falando-se em faturamento, comparando com a temporada anterior (2007/2008), foram poucos os comerciantes que tiveram uma melhora, pois a maioria amargou uma redução considerável em suas vendas. Perguntados sobre o motivo dessa queda no faturamento, todos os comerciantes entrevistados citam os problemas com as chuvas e, principalmente, a propaganda negativa da mídia, quando noticiava esse acontecimento em Itapoá. Em se tratando da crise econômica mundial, os comerciantes se dividem. “O mundo todo já está sofrendo com a essa crise econômica. Sofremos menos que antigamente, mas há reflexos, sim” opina Anis, responsável por uma loja de artesanato e bijuteria do Balneário Itapema. “A crise econômica não chegou por aqui” considera Roger Tabata, responsável por uma farmácia do Balneário Itapoá.

Em relação a qual período da temporada registrou o maior movimento nos estabelecimentos comerciais do município, os comerciantes em sua maioria, quase totalidade, citaram o período entre o natal e os primeiros dias do ano novo. O carnaval acabou tendo uma queda bastante significativa no movimento comercial por causa da queda de energia elétrica que o município registrou em pleno feriado. “O carnaval nos trouxe grande prejuízo por conta da falta de luz na terça-feira. Perdemos cerca de 6.000 pães que estavam prontos para assar e tivemos um prejuízo de aproximadamente R$ 10.000,00” relata Maria de Lourdes Tavares, responsável por uma panificadora no Balneário Itapoá.

A expectativa para o período de baixa temporada é boa para a maioria dos comerciantes entrevistados. “A tendência é ir melhorando, pois agora o pessoal já está ciente de que os problemas que o município enfrentou não foram tão graves quanto o que foi divulgado pela mídia” considera Patrícia Brunetti, responsável por uma choperia no Balneário Itapema.

O Diário de Itapoá agradece a todos os comerciantes que participaram de nossa entrevista e nos receberam de portas abertas. Estamos à disposição de todos vocês sempre que precisarem e torcemos para que todos só tenham motivos de comemoração daqui para frente.

 

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar